Data de publicação: 22-05-2019 10:12:00

Homem mata ex-namorada e mais três pessoas em Paracatu

Nova Faculdade
Igreja Batista Shalom ainda em obras, em 2013; três pessoas foram mortas no local, na terça-feira
 
Foto: Google Street View
 
Agência Brasil
 
Um homem matou quatro pessoas em Paracatu, região Noroeste de Minas Gerais, na noite da última terça-feira (21). Segundo a Polícia Militar (PM), após esfaquear no pescoço e matar uma ex-namorada, o criminoso foi à Igreja Batista Shalom e matou outras três pessoas com uma arma.
 
Policiais que estavam perto da igreja evangélica conseguiram chegar rapidamente ao local e atiraram no criminoso, que foi levado com vida a um hospital, onde foi operado. Segundo policiais, o desfecho poderia ter sido muito pior, porque havia 20 pessoas na igreja quando o atirador chegou.
 
“O rapaz foi à casa da mãe dele, onde também estavam a irmã e uma ex-namorada. Ele entrou, desferiu um golpe de faca no pescoço da ex-namorada, que veio a óbito. Saiu dali e foi em direção a uma igreja batista, onde se realizava uma reunião fechada com cerca de 20 pessoas. Ele entrou com uma garrucha calibre 0.36 e disparou, atingindo a cabeça de um senhor”, disse o porta-voz da PM, major Santiago.
 
Reação rápida
 
A Polícia Militar informou que, ao chegar à igreja, o atirador efetuou um disparo na cabeça de um homem. Em seguida, recarregou a arma e atirou novamente, atingindo a cabeça de uma mulher.
 
“Felizmente, havia um patrulhamento da PM próximo, que percebeu [o ocorrido]. Ele [o atirador] percebeu a presença dos policiais e tomou outra mulher como refém, mas no momento em que os policiais começaram a negociar, ele atirou na cabeça dela. A polícia revidou e acertou o criminoso, que não veio a óbito”, acrescentou o porta-voz da PM.
 
Segundo ele, o desfecho poderia ter sido ainda pior, uma vez que havia dezenas de pessoas celebrando um culto na igreja.
 
“Infelizmente, confirmamos os três óbitos na igreja e o da ex-namorada. Mas, com 20 pessoas no local, a situação poderia ter sido muito pior se não fosse a intervenção da Polícia Militar”, disse o major.
 
Distúrbios mentais
 
Em entrevista ao jornalista Valter Lima, no programa Revista Brasil, da Rádio Nacional de Brasília, emissora da EBC, o tenente-coronel Luiz Magalhães, do 45º Batalhão da Polícia Militar de Paracatu, disse nesta quarta-feira (22) que o assassino passava por distúrbios e já teria tido envolvimento com drogas.
 
“Pelos relatos que colhemos de alguns fiéis, ele demonstrava sinais de distúrbios psicológicos e psiquiátricos. Ele dizia que ouvia vozes e tinha alucinações. Era membro da igreja e, ao que consta, ficou insatisfeito por ter sido retirado de alguns trabalhos, justamente por mau comportamento”, relatou.
 
Na versão da Polícia Militar, o criminoso tem 39 anos e estaria desempregado.
Comentários

Charge


Flagrante


Boca no Trombone


Guia Comercial


Enquetes


Previsão do Tempo


Siga-nos:

Endereço: Av. Cardeal Eugênio Pacelli, 1996, Cidade Industrial
Contagem / MG - CEP: 32210-003
Telefone: (31) 2559-3888
E-mail: redacao@diariodecontagem.com.br