Data de publicação: 03-01-2020 19:25:00 - Última alteração: 03-01-2020 19:52:18

Quem vota em político que corta árvores saudáveis?

Nova Faculdade
Em frente a Câmara Municipal de Contagem

Galerias de fotos

Legislativo contagense com arvores
 
Legislativo contagense sem arvores /Fotos: Robson Rodrigues

 
Enfim 2020, ano de eleições municipais. Oportunidade para os eleitores tentarem melhorar a qualidade dos representantes blicos que estão mais próximos dos cidadãos. Três anos são mais que suficientes para avaliar as ações do prefeito e vereadores.     

Em Contagem foram anos conturbados. Por diversas vezes, a Câmara Municipal foi ocupada e quase invadida por populares insatisfeitos com os projetos de leis que foram votados. Mesmo assim, a população não teve voz ativa, tudo foi aprovado a contra gosto.

A legislatura 2017/2020 iniciou com uma medida impopular que afetou o bolso de grande parcela da população. A volta do Imposto Predial e Territorial Urbano – IPTU residencial pegou todos de surpresa ainda em 2016, quando vereadores aprovaram a cobrança do tributo após 27 anos de isenção.

A manobra política considerada “Golpe” pela população aconteceu logo após o segundo turno das eleições e foi efetivado nos últimos dias de dezembro como presente de Papai Noel. Os contagenses viraram o ano indignados e continuaram indignados com a ação orquestrada por políticos eleitos, releitos e até pelos derrotados nas urnas. Todos saíram ganhando, menos o povo.

O tributo foi cobrado, quem não pagou caiu na divida ativa e muitos tiveram os nomes negativados. Mas os grandes devedores foram anistiados com o REFIS - Programa de Recuperação Fiscal que tem como objetivo facilitar a regularização de tributos em atraso de pessoas jurídicas ou físicas. Os demais tiveram que se virar para pagar. Dois pesos, duas medidas.

Trabalho ou a falta dele

Não foi somente o IPTU que desagradou os contagenses. A Feira de Artesanato do Eldorado correu risco de acabar, mas graças à pressão popular foi transferida e continua. Mas a população perdeu a praça Iria Diniz e corre o risco de perder o Camelódromo, centro de compras popular que funciona a décadas no local.

Falta d`água

A população de Contagem anda preocupada com um iminente racionamento d`água  que pode ser causado pela especulação  imobiliária que pretende povoar a cidade e colocar em risco o bem estar de todos.

Em nome do desenvolvimento e da geração de empregos, um novo Plano Diretor foi aprovado pelos vereadores e recentemente a Lei de Parcelamento, Uso e Ocupação do Solo também foi aprovada a contra gosto da população.  

Com isso, Contagem perdeu as áreas rurais e passou a permitir a construção de prédios residenciais na bacia de Vargem das Flores. Os mananciais que abastecem a represa estão em risco e até áreas de interesse social foram criadas para camuflar e garantir que construtoras explorem ao máximo as áreas verdes ainda disponíveis na cidade.

Curral eleitoral

Os currais eleitorais continuam existindo em Contagem. Associações e ONGs criadas e mantidas por políticos locais para oferecer vários benefícios, fisioterapia, hidroginástica, dentista, médico, pré Enem e outros benefícios. Os cidadãos fragilizados são devidamente cadastrados e mantidos com o voto de cabresto - mecanismo de compra de votos que utiliza a máquina pública.

A prática característica da época do coronelismo ainda é recorrente no interior do Brasil, inclusive em Contagem. Na cidade existem vereadores com mais de trinta anos de mandato que se gabam com os mais de três mil votos certos e contabilizados por meio desse mecanismo que vem garantindo o acesso aos cargos eletivos há décadas.

Quem vota em político que corta árvores saudáveis?

O poder pelo poder. O grande comendo o pequeno. O rico comprando o pobre com promessas e migalhas. O poder econômico somado ao poder político permitindo desmandos em Contagem como o corte de duas arvores saudáveis, somente para que uma reforma de um prédio fique visível. O presidente mandou, o serviçal cortou, mesmo a contra gosto.

Desmatamentos que colocam em risco a segurança hídrica da cidade. Desmandos que autorizam construções de centenas de prédios em áreas de preservação sem garantir água, escolas, saúde, segurança, lazer e bem estar para a população.  

Tudo pelo dinheiro! Tudo pelo bem de suas respectivas famílias. Nada para o povo. Você votaria nesse tipo de político?


Legislativo quando haviam árvores

Link relacionado

Vereador explica o que é assistencialismo
 
Comentários

Charge


Flagrante


Boca no Trombone


Guia Comercial


Enquetes


Previsão do Tempo


Siga-nos:

Endereço: Av. Cardeal Eugênio Pacelli, 1996, Cidade Industrial
Contagem / MG - CEP: 32210-003
Telefone: (31) 2559-3888
E-mail: redacao@diariodecontagem.com.br